O Programa de Educação Financeira do Banco Central


09/01/2017
O Programa de Educação Financeira do Banco Central

O que é Educação Financeira

A Educação Financeira é o processo mediante o qual os indivíduos e as sociedades melhoram sua compreensão dos conceitos e produtos financeiros. Com informação, formação e orientação claras, as pessoas adquirem os valores e as competências necessários para se tornarem conscientes das oportunidades e dos riscos a elas associados e, então, façam escolhas bem embasadas, saibam onde procurar ajuda e adotem outras ações que melhorem o seu bem-estar. Assim, a Educação Financeira é um processo que contribui, de modo consistente, para a formação de indivíduos e sociedades responsáveis, comprometidos com o futuro.

Por que promover a Educação Financeira do brasileiro

A crescente sofisticação dos produtos oferecidos aos consumidores de serviços financeiros aumenta o leque de opções à disposição do cidadão brasileiro, ao mesmo tempo em que lhe atribui maior responsabilidade pelas escolhas realizadas.

A recente ascensão econômica de milhões de brasileiros defronta o novo consumidor com instrumentos e operações financeiras complexas e variadas, sem que o cliente ou usuário do Sistema Financeiro Nacional esteja preparado para compreender os produtos e serviços financeiros disponíveis e lidar com eles no dia a dia. Não apenas é difícil o acesso a informações, mas também falta conhecimento para compreender as características, os riscos e as oportunidades envolvidos em cada decisão. A necessidade de educar o cidadão brasileiro para atuar no meio financeiro determinou a instituição de uma estratégia conjunta do Estado e da sociedade.

Assim, foi instituída a Estratégia Nacional de Educação Financeira (Enef), com a finalidade de promover a educação financeira e contribuir para o fortalecimento da cidadania, para a eficiência e a solidez do Sistema Financeiro Nacional (SFN) e para a tomada de decisões conscientes por parte dos consumidores. Os principais propósitos da educação financeira são ampliar a compreensão do cidadão quanto ao consumo, poupança e crédito, para que o indivíduo seja capaz de fazer escolhas conscientes quanto à administração de seus recursos financeiros.

O Banco Central participou da formulação da Estratégia e integra o Comitê Nacional de Educação Financeira (Conef), responsável por definir planos, programas e ações e por coordenar a execução da Enef. No âmbito do Comitê, o Banco Central é responsável por:

  1. Exercer periodicamente a presidência, que se dá em regime de rodízio, entre Banco Central do Brasil, Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), Superintendência de Seguros Privados (Susep) e Ministério da Fazenda;
  2. Coordenar o desenvolvimento da Educação Financeira de adultos, no âmbito da Enef; e
  3. Exercer a Secretaria-Executiva do Comitê.

O Programa de Educação Financeira do Banco Central

Além de atuar no Conef, o Banco Central conta com suas próprias ações visando criar condições para que os indivíduos e a sociedade brasileira possam administrar seus recursos financeiros de maneira consciente e dessa forma contribuir para assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda e um sistema financeiro sólido e eficiente.

O melhor desempenho de cada cidadão em sua vida financeira contribui para o melhor desempenho da economia brasileira. Por isso, o Banco Central do Brasil busca atuar junto à sociedade, trabalhando para incluí-la e educá-la financeiramente.

Ao promover ações de educação financeira no âmbito de um programa integrado, o Banco Central busca atingir as dimensões cognitiva, atitudinal e comportamental.

No âmbito cognitivo, o Programa de Educação Financeira do Banco Central tem por objetivos proporcionar conhecimentos sobre o uso da moeda, divulgar os canais de acesso da população ao SFN e divulgar o papel do próprio Banco Central.

Nas esferas atitudinal e comportamental, os objetivos são incentivar o hábito de poupança, estimular a responsabilidade no uso do crédito e promover mudanças de comportamentos com base nas boas práticas de finanças pessoais.

O programa é voltado para a sociedade brasileira em geral, com foco nos clientes e usuários dos produtos e serviços financeiros. Entre os diversos segmentos da sociedade brasileira, classificados de acordo com seu ciclo de vida, estão eleitos como prioritários, além de outros segmentos, os estudantes de ensino superior.

O BC Universidade

O público universitário é essencial para o alcance dos objetivos do Programa de Educação Financeira do Banco Central, por se tratar de público ávido por novos conhecimentos e que demonstra alto potencial de influência em suas famílias e demais círculos sociais. Os universitários constituem, em grande parte, os novos entrantes no mercado de trabalho. Contribuem para o aumento da renda das famílias e são responsáveis por tomar crédito de forma consciente e por formar poupança para o consumo próximo e para sua vida futura.

Direcionado a todo o público universitário, o BC Universidade tem como objetivo aproximar a autoridade monetária do estudante do ensino superior, utilizando-se, para isso, de linguagem simples, direta e com abrangência nacional. Assim, as mais de 2.500 instituições de ensino superior no país, com 6 milhões de estudantes, fora o corpo docente e de apoio das universidades públicas e privadas de todo o país, estão todas convidadas a participar!

Em 2012, ocorreram palestras sobre os seguintes temas: Sistema Financeiro Nacional; o Banco Central e suas funções; e Gestão de Finanças Pessoais. Outras ações estão programadas para lançamento futuro.

Voltar